A deputada federal Eliza Virgínia (PP) denunciou o cantor Wesley Safadão ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MDH) por suposta erotização infantil em um vídeo compartilhado pelo artista nas redes sociais que envolve a filha do cantor. A publicação tem a ver com divulgação da música ‘Macetando’, que contém letras aparentemente inadequada para menores.

No material divulgado pelo artista no último domingo (17), o cantor aparece dançando ao lado da filha, Ysis, de apenas 8 anos, para divulgar a música. “Em qual cidade eu devo gravar o clipe de #Macetando? Responde aí nos comentários!”, escreveu na legenda da publicação, que foi apagada posteriormente.

“Ai vida, ai vida, ai vida, Bota de red de melancia, pra novinha, com gin que tu vai ver Putaria (vai bebê) Chama as amiguinha, o baile vai ferver Só quem é gostosa levanta a mão”, diz trecho da música ‘Macetando’ em que o cantor aparece dançando ao lado da filha.

No ofício encaminhada à ouvidoria do MDH, Eliza Virgínia alega que o material contém “evidente erotização infantil”, o que segundo ela fere o Estatuto da Criança e do Adolescente – Eca, quando, no art. 3º, estabelece que a criança e o adolescente gozam de todos os direitos fundamentais inerentes à pessoa humana, sem prejuízo da proteção integral”.

A denúncia foi encaminhada ao ouvidor do MDH, Nabih Henrique Charim, que segundo Eliza Virgínia já acusou recebimento do material. “Isso não pode acontecer e enquanto eu estiver como política estarei denunciando coisas como essa”, disse a parlamentar, que também prometeu discar 100 contra o artista. O canal analisa e encaminha denúncias de violações de direitos humanos.

Especialistas também criticaram o artista. Segundo o blog Marie Clarie, a psicóloga infantil e doutora em educação Cecilia Antipoff disse que é necessário cuidar das crianças e combater a sexualização infantil. “Não dá para ver e ouvir certas coisas e só sentir uma revolta interna. É preciso fazer algo. Temos que cuidar das nossas crianças. Uma criança busca o tempo todo pertencer, se sentir amada e se sentir aceita. São necessidades emocionais básicas que ela vai buscar a todo momento”, comentou a psicóloga.

Blog do BG PB