O Ministério da Saúde da Colômbia anunciou que encerrará depois de quase 15 meses a proibição de público em eventos esportivos que não estejam em cidades muito afetadas pela pandemia. A medida autoriza o uso de 25% da capacidade em municípios onde as unidades de terapia intensiva (UTI) estejam com ocupação abaixo de 85%.

Uma das cidades que estarão habilitadas é Barranquilla, ao norte, onde a Colômbia disputará o jogo das eliminatórias sul-americanas da Copa do Mundo de 2022, contra a Argentina, na terça-feira que vem, em 8 de junho, quando a nova disposição começará a valer. Apesar de o país ter batido recordes de casos e mortes pelo vírus nos últimos dias, Fernando Ruiz, encarregado do ministério, afirma que “praticamente todas as cidades da costa norte da Colômbia já passaram deste terceiro pico” da pandemia.

Em relação às competições de clubes, nenhum time colombiano passou às oitavas da Libertadores. Mas dois disputam a próxima fase da Copa Sul-Americana. O América de Cáli recebe o Athletico-PR em 13 de julho, e o Junior Barranquilla joga em casa contra o Libertad, do Paraguai, no dia seguinte.

Em proporção a sua população, a Colômbia é o quarto país com mais mortes pelo novo coronavírus na América Latina e Caribe, atrás de Peru, Brasil e México. Quase 90 mil pessoas morreram pela pandemia e mais de 3,4 milhões se infectaram.

Protestos contra o governo atrapalharam recentemente a disputa de partidas pela Copa Libertadores na Colômbia. Além disso, manifestações contrárias à organização da Copa América no país forçaram a mudança da sede dupla somente para a Argentina, até que foi proibida também no outro país e acabou sendo confirmada no Brasil.

Por Globo Esporte