Para aqueles que acham que não há diferença na qualidade das vacinas, um exemplo prático vem do Chile.

Embora tenha vacinado boa parte de seus habitantes, a Covid dispara, possivelmente por causa da menor eficácia da vacina chinesa.

No Chile, 85% das doses ministradas são de Coronavac e 15% de Pfizer.

Uma possível explicação para as diferenças encontradas no Chile é a menor eficácia e eficiência da Coronavac. Talvez Coronavac seja capaz de reduzir internações e mortes, mas não consiga impedir completamente a propagação do vírus.

“Para entender o fim da pandemia, cientistas estão observando como o Sars-CoV-2 se comporta nos países que estão adiantados no processo de vacinação”, diz Fernando Reinach a’O Antagonista.

Por O Antagonista