Anitta já tem um novo affair para chamar de seu. Depois de viver um romance em solo brasileiro com Lipe Ribeiro, que descartou a possibilidade de um namoro com a cantora, Anitta tem vivido um relacionamento com um bilionário norte-americano.

De acordo com a colunista Fábia Oliveira, do jornal “O Dia”, o novo eleito da Poderosa é Mikey Chetrit, judeu, empresário do setor imobiliário nos Estados Unidos e herdeiro de uma fortuna bilionária, estimada em 6 bilhões de dólares.

Michael, nome de batismo do empresário, esteve na comemoração do aniversário de 28 anos de Anitta, que aconteceu em um restaurante em Miami. Na ocasião, a funkeira apostou em um look sexy e transparente, composto por calça e body, com detalhes rendados e brilhosos. Em um clique da festa, Anitta e Mikey aparecem abraçados (veja abaixo).

 

Anitta comprou mansão de R$ 8 milhões em Miami

Morando em Miami, nos Estados Unidos, para cuidar de sua carreira internacional, Anitta está vivendo em uma mansão que, segundo fãs da artista, foi comprada por ela por mais de R$ 8 milhões. Construído em 1940, o imóvel tem 3 quartos, 2 banheiros e combina o “charme histórico” com “conveniências modernas”, segundo anúncio da imobiliária onde estava sendo negociado.

Com sala de jantar espaçosa para 12 pessoas e piscina de água salgada quente ou fria, a mansão também conta com banheiros tipo “spa”, jardim e garagem para 2 carros. Uma propriedade luxuosa, mas um pouco mais simples que a casa que Anitta ostenta no Rio de Janeiro, avaliada em R$ 10 milhões.

Anitta detonou produtor brasileiro após crítica a funk

Sem papas na língua, Anitta não gostou nada de ouvir que Rick Bonadio ficou com “vergonha” de ver a comoção brasileira após Cardi B, durante a performance de “WAP” no Grammy 2021, acrescentar nos 15 segundos finais um remix do hit criado pelo DJ Pedro Sampaio. “Eu simplesmente tive que fazer isso”, disse a rapper após a apresentação.

O produtor brasileiro não gostou de ver a imagem do Brasil, fora do país, atrelada ao funk e detonou: “Já exportamos bossa nova, já exportamos samba rock, Jobim e Ben Jor. Até Roberto Carlos. Mas o barulho que fazem por causa de 15 segundos de funk na apresentação da Cardi B me deixa com vergonha. Precisamos exportar música boa e não esse ‘fica de quatro'”. “Não dá pra aceitar que sempre a mesma batida com letras de put*ria seja algo necessário ou ‘a cultura do país'”, opinou.

Irritada, Anitta retrucou, irônica: “Tenho uma sugestão top pra você também. Escolhe um ritmo brasileiro à sua altura, faz uma música e exporta pro mundo. É ‘facin’, rápido e de uma hora pra outra, claro, não dá pra começar com míseros segundos no Grammy. Quando você chegar lá a gente comemora com você”.

Por Carmen Moreira