Fátima Bernardes fez um desabafo sobre a situação da pandemia no Brasil durante a apresentação do “Encontro” na manhã de hoje. Após Michelle Loreto divulgar a notícia de que o Brasil possui mais mortes que o esperado em relação ao ano passado, a apresentadora comentou a situação nacional no programa. Ontem, o Brasil superou a marca de 140 mil mortes em um único mês e março de 2021 já registra o recorde de óbitos do país. Eu não sei se fico na expectativa da gente dar uma boa notícia, se a gente acaba mostrando mais cenas tristes como essa e se isso de alguma maneira comove as pessoas, se faz acreditar… Porque ainda me assusta muito a gente ouvir pessoas falando assim: ‘Está acontecendo isso mesmo?’ E a gente ouve isso, principalmente dos mais jovens. E é muito preocupante. O que falta para as pessoas acreditarem que a situação não é uma brincadeira?

Ao lado de Fátima, André Curvello endossou o desabafo da jornalista: E a situação acaba sendo lembrada todo dia. Está acontecendo, a terra é redonda, a vacina é importante e por aí vai. Fátima ainda citou os cenários de Araraquara e de Londres no Reino Unido como exemplo de notícias que gostaria de dar no programa.

A cidade no interior de São Paulo reduziu o número de casos após lockdown e a capital inglesa teve dias com nenhuma morte registrada pela doença. Quem dera a gente chegar aqui e pudesse dizer, olha só o feriado está funcionando, diminuiu muito, como aconteceu em Araraquara. É com alegria que a gente dá uma notícia assim, que a situação melhorou muito como em Araraquara. É com alegria que a gente dá uma notícia assim, que a situação melhorou muito como em Araraquara.

A gente vê agora no Reino Unido, o primeiro dia em Londres sem nenhuma morte. A gente quer dar essas notícias. Queremos voltar a sorrir sem culpa, ficar feliz. E é difícil. Está difícil. Na última semana, a jornalista já havia feito outro desabafo sobre a situação. “3.158 mortes em 24 horas. Quando vejo diariamente esses números que não param de crescer, eu sinto dor, misturada com tristeza, desesperança, angústia. E também raiva, revolta, perplexidade”, escreveu ela no Instagram.

Atualmente, o Brasil ultrapassou 300 mil mortes registradas por conta da doença.

Colaboração para o UOL, em São Paulo